A Zona de Protecção Especial de Reguengos de Monsaraz foi criada a 26 de Fevereiro de 2008 (Decreto Regulamentar n.º 6/2008 de 26 de fevereiro) e conta com uma área de 6.042,69ha totalmente inserida no concelho de Reguengos de Monsaraz.

Na sua definição foi considerada a sua importância para a conservação das aves estepárias, onde se destaca a ocorrência de densidades altas de sisão (Tetrax tetrax) durante a época de reprodução.

Mais informação sobre a ZPE de Reguengos de Monsaraz pode ser consultada no site Natura 2000 Network Viewer da Agência Europeia de Ambiente, onde é possível consultar informação sobre as espécies que ocorrem na área.

No eBird existe um hotspot denominado “ZPE Reguengos de Monsaraz–São Marcos do Campo-Campinho” que abrange a área envolvente à estrada CM129 que liga São Marcos do Campo ao Campinho. Nesta área aberta onde predominam as culturas cerealíferas e os pousios é possível observar a calhandra (Melanocorypha calandra), o cortiçol-de-barriga-preta (Pterocles orientalis) e o alcaravão (Burhinus oedicnemus).

Ameaças

Como em muitas áreas do distrito de Évora, também a ZPE de Reguengos sofre a ameaça da conversão da agricultura cerealífera de sequeiro para regadio, o aumento do encabeçamento bovino e a construção de cercas para parqueamento do gado e ainda o cultivo de culturas permanentes, principalmente olival e vinha. (fonte: ICNF)

Estas áreas estão muito perto de se tornarem ilhas isoladas no meio de uma paisagem totalmente alterada e estéril.

Caso não se alterem consideravelmente as políticas agrícolas o desaparecimento das espécies consideradas Vulneráveis e Em Perigo pelo Livro Vermelho dos Vertebrados é inevitável. E quem sabe outras espécies lhe seguirão o mesmo caminho.

Bibliografia

Esta brochura disponível no website da Comissão Europeia dispõe de imensa informação sobre a Rede Natura 2000.